Pular para o conteúdo
Voltar

Governador convida Exército para participar da Caravana da Transformação

Gustavo Nascimento | Gcom-MT

- Foto por: Meneguini/Gcom-MT
A | A

O governador Pedro Taques convidou o Exército Brasileiro para integrar as edições da Caravana da Transformação que ocorrerão em 2017. O objetivo é levar mais ações cívico sociais, assistências em saúde e informações à população de Mato Grosso.

O convite foi realizado na manhã desta segunda-feira (28.11) durante uma reunião do governador com o comandante Militar do Oeste, general de Exército Gerson Menandro Garcia de Freitas e o general Luiz Fernando Estorilho Baganha, no Círculo Militar, em Cuiabá.

“Fiz um convite para que o Comando do Exército esteja presente na Caravana para levar mais cidadania aos mato-grossenses. Aqui em Mato Grosso, o Exército é sempre bem vindo em razão dos traços que nos une, como a luta por uma sociedade mais justa, mais livre e mais solidária”, disse o governador.

Conforme o general Menandro, o Exército também conta com um projeto que tem como objetivo levar ações sociais para a população. “Nós temos no Exército, a Ação Cívico Social (ACISO), e nós levamos assistência de saúde, assistência social, informações, atendimento médico e odontológicos à população mais carente, que normalmente têm dificuldades de acesso a esses serviços. Além disso, dispomos de atendimento veterinário. Então, não há nada melhor do que integrar esforços neste objetivo”, concluiu.

SISFRON

Durante o encontro, o governador também debateu a possibilidade de Mato Grosso receber o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), que atualmente conta com um projeto piloto em Dourados, Mato Grosso do Sul.

“É praticamente impossível colocar um homem a cada 750 quilômetros de fronteira entre Mato Grosso e Bolívia. Por isso, a importância da tecnologia como esses sistemas que melhoram a segurança com o cidadão. Agora, não há paz sem desenvolvimento, por isso, estamos marcando uma grande reunião em Cáceres envolvendo o Comando do Exército, Ministério da Defesa, Ministério das Relações Exteriores e Justiça, para que possamos tratar desses temas”, afirmou o governador.